G2-NOVO
Polícia

Médica e enfermeira são detidas por falsificar atestado em Pinhalzinho

Prisão foi realizada em flagrante pela Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (22)

22/06/2020 19h28
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Diário do Iguaçu
265
Na DP, em razão de se tratar de infração de menor potencial ofensivo, foi lavrado um Termo Circunstanciado
Na DP, em razão de se tratar de infração de menor potencial ofensivo, foi lavrado um Termo Circunstanciado

Segundo a Polícia Civil, no início da tarde, a Polícia Militar conduziu duas pessoas para a delegacia, sendo um homem e uma mulher, que foram detidos em flagrante por furto e receptação.

O homem apresentava lesões aparentes no rosto, na mão e no peito.

Porém, no atestado confeccionado, por uma médica e por uma enfermeira, a partir de exame médico realizado no conduzido, constava não ter sido verificado nele qualquer lesão e/ou escoriação.

Segundo o delegado Jeronimo Ferreira ao Diário do Iguaçu, “quando a PM conduz alguém em flagrante para a delegacia é sempre feito exame de corpo de delito pra verificar se o preso tem ou não lesão”, explicou.

Com isso, o delegado acompanhado de um agente, foi ao local de trabalho das profissionais e deu voz de prisão por crime da falsidade, conduzindo-as à delegacia.

Na DP, em razão de se tratar de infração de menor potencial ofensivo, foi lavrado um Termo Circunstanciado, tendo elas optado por permanecer em silêncio. Ambas assinaram o procedimento, se comprometendo a comparecer em juízo, e, por isso, foram liberadas em seguida.

O procedimento será encaminhado ao Poder Judiciário.

Os dois conduzidos pela PM foram atuados em flagrante, ele por furto e ela por receptação, e encaminhados à Unidade Prisional Avançada de Maravilha.

Sobre os machucados do preso, o delegado Jeronimo Ferreira informou que, eram decorrentes de uma briga do homem com um familiar na noite de domingo (21) e também havia um machucado no peito que foi feito com a arma de choque da Polícia Militar durante a prisão.