G2-NOVO
Covid-19

Isolados: a rotina de uma técnica de enfermagem de Xanxerê que teve contato com a Covid-19

Dejane reforça que sempre tomou todos os cuidados para evitar a contaminação, que s usou os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e se mantem na fé para superar a situação.

16/07/2020 20h30
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Tudo Sobre Xanxerê
152
Dejane Padilha, é técnica em enfermagem e atuando na fiscalização da Vigilância Sanitária de Xanxerê
Dejane Padilha, é técnica em enfermagem e atuando na fiscalização da Vigilância Sanitária de Xanxerê

Era para ser mais um dia de muito trabalho, onde no fim da tarde, o expediente acabaria e tudo voltaria ao normal na rotina da família. Porém, não foi o que aconteceu com os Padilha. Desde o último sábado (11), o quarto virou o cômodo principal da casa, onde mãe, pai e filho estão isolados.

Dejane Padilha, é técnica em enfermagem e atuando na fiscalização da Vigilância Sanitária de Xanxerê, se viu na linha de frente no combate ao novo coronavírus. Sempre temerosa e cuidando para evitar o contágio, o medo maior nunca foi ser acometida pelo vírus, mas sim levá-lo para casa. E foi o que pode ter acontecido.

- Trabalhei até sábado dia 11, até às 19 horas, vim para casa me sentindo muito cansada e com dor no corpo, mas no primeiro momento achei que era somente cansaço, do dia a dia por estar trabalhando bastante,  mas na madrugada acordei com muito mais dor no corpo e já estava fazendo febre e muita dor de cabeça.  Nesse momento meu marido também já estava desenvolvendo alguns sintomas – conta.

Dejane não hesitou e assim que amanheceu o dia procurou atendimento médico.

- Por nós dois não estarmos bem procuramos o atendimento no Hélio Ortiz e quero aqui agradecer muito a equipe que nos atendeu. Fomos medicados e já pediram para nos manter em isolamento.  Na segunda-feira, a equipe da Sala de Situação nos ligou, pois já tinham agendado meu exame PCR para terça-feira de manhã dia 14, fiz a coleta e aguardo o resultado - descreve.

Enquanto isso, além dos sintomas físicos, a família precisa saber lidar com a dor emocional por estar distante de quem ama e mesmo que o teste venha a dar negativo, as marcas que a Covid-19 vai deixar na família, serão grandes.

- As dores são horríveis, a falta de ar nem se fala, é uma sensação que você vai morrer mesmo - complementa.

Desde então, a semana da família tem sido bem diferente. A filha do casal de apenas dois anos, não vê a mãe, pai e irmãos desde o último sábado. A filha mais velha, de 21 anos, é quem está fazendo as compras no supermercado e farmácia, enquanto a mãe se cobra por não poder dar atenção ao filho de oito anos, o qual divide a mesma casa, mas precisa manter o distanciamento.

- A primeira sensação foi de desespero, pois meu marido é do grupo de risco, tenho também duas crianças, um menino de oito anos que está com nós em casa e uma menina de dois anos que está na tata, pois como trabalhei 12 horas no sábado, ela já estava na casa da tata e como começou meus sintomas deixei ela lá, até sair o resultado do exame. A saudade é enorme, dói muito estar longe dela, mas sei que é pro bem. O nosso menino que está com nós, passa maior parte do tempo no quarto, para evitar tanto contato com nós.  Isso é muito triste e desgastante porque parece que estamos evitando nossos filhos, nossos familiares. Falo com minha mãe e meu pai somente por telefone também.  Peço perdão aos meus filhos por parecer que estou desprezando eles ou deixando eles abandonados, mas não é isso, é o momento que nos obriga e devemos nos manter isolados. Temos que fazer nossa parte para o vírus não circular ainda mais– diz.

Dejane reforça que sempre tomou todos os cuidados para evitar a contaminação, que s usou os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e se mantem na fé para superar a situação.

- Meu recado para você é que leve a sério, use máscara, faça higiene das mãos, não espere se tiver sintomas, pode ser apenas uma gripe, mas melhor não arriscar. Melhor pecar por excesso do que depois não ter mais o que se fazer e tenha sempre muita fé, peça proteção ao papai do céu,  pois somente ele para nos da força nesse momento - finalizou.