G2-NOVO
Polícia

Suspeito de ter assassinado garagista de Xanxerê tentou comprar carro de um concordiense

O vendedor de Concórdia foi até Chapecó para mostrar um veículo, mas não chegou a ter contato com o “comprador”

28/08/2020 15h27
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Rádio Aliança
3.868
O empresário concordiense também destacou que não tinha o hábito de levar carros para pessoas em outros municípios, mas neste caso resolveu arriscar. L
O empresário concordiense também destacou que não tinha o hábito de levar carros para pessoas em outros municípios, mas neste caso resolveu arriscar. L

rapaz de 28 anos, preso em Concórdia suspeito de ter assassinado o garagista João Ricardo Arno, de 35 anos, na quarta-feira, dia 26, no interior do município de Ipuaçu, tentou comprar um carro de uma revenda de Concórdia, dois dias antes do crime. O vendedor concordiense chegou a ir até Chapecó para mostrar o carro, mas não teve contato com o “comprador”. 

 

O empresário de Concórdia prefere não se identificar, mas confirmou ao Jornalismo da Rádio Aliança, que o suspeito pelo crime também fez contato com ele. O rapaz de 28 anos chamou o concordiense via WhatsApp pedindo informações sobre um carro. Os dois conversaram e o suspeito demonstrou interesse pelo veículo. Ambos combinaram de se encontrar em um local no centro de Chapecó. “Ele viu o anúncio na internet e me chamou. Queria comprar o carro e disse que pagaria à vista”, relatou o empresário de Concórdia. “Pediu que eu fosse até a comunidade de Vista Alegre em Ipuaçu, mas eu disse que não iria, então ele concordou em ir até Chapecó, no local que marquei, mas não apareceu”, contou. 

 

O garagista de Concórdia confirmou ao Jornalismo da Aliança que o rapaz preso é o que fez contato com ele, já que o nome é o mesmo e o local que o “comprador” queria que o carro fosse levado, é onde o corpo do garagista de Xanxerê foi encontrado.

O empresário concordiense também destacou que não tinha o hábito de levar carros para pessoas em outros municípios, mas neste caso resolveu arriscar. Ele afirma que a partir de agora não fará mais este serviço.