G2-NOVO
Covid-19

Xanxerê completa um mês sem mortes por Covid-19

Em relação a semana, temos inclusive casos de pessoas que vieram no litoral e foram internadas com confirmação da doença – comenta a enfermeira.

04/11/2020 12h04
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Tudo Sobre Xanxerê
50
Em caso de dúvidas, a Secretaria Municipal de Saúde de Xanxerê dispõe da Sala de Situação com atendimento 24 horas por dia através do 0800 534 1635.
Em caso de dúvidas, a Secretaria Municipal de Saúde de Xanxerê dispõe da Sala de Situação com atendimento 24 horas por dia através do 0800 534 1635.

Xanxerê está há um mês sem registrar mortes em decorrência do novo coronavírus, o SARS-CoV-2, causador da Covid-19. Segundo os dados oficiais, o último, dos 32 óbitos, foi confirmado no dia 3 de outubro. Nesse mesmo mês observou-se, também, a diminuição nos casos ativos, em relação aos meses anteriores, o que, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, pode ser atribuído aos cuidados tomados como forma de prevenção.

No entanto, a quantidade de atendimentos realizados na Unidade de Saúde Hélio dos Anjos Ortiz, somente nesta terça-feira (3), acendeu um alerta. Segundo a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica de Xanxerê, Francis Mara Pegoraro, até às 16h de hoje, quase 60 pessoas já haviam passado por lá e ainda haviam muitas na fila de espera. A média de atendimentos dos últimos dias era de 16 a 20 por dia.

- Bastante gente com sintomas procurou atendimento hoje aqui no Hélio Ortiz e muitas que estavam viajando nos últimos dias. A preocupação maior é que todos que foram atendidos até o momento apresentam sintomas sugestivos de Covid. Em relação a semana, temos inclusive casos de pessoas que vieram no litoral e foram internadas com confirmação da doença – comenta a enfermeira.

A maioria dos pacientes atendidos no Centro apresenta febre, tosse, coriza e congestão nasal. De acordo com o boletim epidemiológico de hoje, há nove pessoas internadas, com idades entre 34 e 86 anos. Ainda segundo Francis Mara, é difícil prever quando pode ocorrer uma nova onda de aumento, mas é possível evitar que isso aconteça, mantendo os cuidados de higiene e distanciamento.

- É preciso continuar com os cuidados, uso de álcool, ambientes arejados, uso de máscaras, higienização dos ambientes, de objetos, das mãos. Procurar trocar as vestes ao retornar dos estabelecimentos. Enfim, continuar esses cuidados que a gente tinha no pico da pandemia. É difícil prever como vai ser de agora em diante, estamos vendo que em outros países estão realizando fechamentos novamente e não queremos que isso aconteça aqui. Por isso, todo o cuidado é necessário – afirma Francis Mara.

O Brasil ultrapassou, recentemente, a marca de 160 mil mortes causadas por complicações da doença. Santa Catarina registra 3.139 óbitos até o fim da tarde desta terça-feira (2), de acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde.

A doença respiratória pode se manifestar de formas diferentes de pessoa para pessoa, variando de infecções assintomáticas a quadros graves, com necessidade de atendimento hospitalar e até suporte ventilatório. A transmissão ocorre de pessoa doente para outra através do aperto de mão contaminadas, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, objetos ou superfícies contaminadas.

No caso de sentir sintomas, que podem variar de um resfriado a uma Síndrome Gripal, deve-se evitar contato próximo com outras pessoas e buscar orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde. Em caso de dúvidas, a Secretaria Municipal de Saúde de Xanxerê dispõe da Sala de Situação com atendimento 24 horas por dia através do 0800 534 1635.