G2-NOVO
COVID-19

Prefeitura de Concórdia anuncia novas medidas restritivas até quarta

Medida foi tomada após diversas reuniões com entidades e outras autoridades.

26/02/2021 22h52
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Rádio Rural
63
O município também bateu recorde de casos positivados. Registrou 205 novos pacientes com a doença em apenas 24 horas,
O município também bateu recorde de casos positivados. Registrou 205 novos pacientes com a doença em apenas 24 horas,

Devido ao avanço da contaminação da covid-19 em Concórdia, a administração municipal decidiu por decretar uma forma de lockdown em Concórdia de hoje, sexta-feira, dia 26, até o início da manhã da próxima quarta-feira, dia 3. O município vive agora um dos piores momentos de toda a pandemia.

Conforme o que foi anunciado pelo prefeito Rogério Pacheco em coletiva de imprensa na prefeitura na manhã desta sexta-feira, o município deverá estar em lockdown a partir das 18 horas de hoje até as 06 horas de quarta. Neste período, apenas serviços essenciais poderão abrir as portas. Confira detalhes do decreto.

"Infelizmente, por irresponsabilidade de algumas pessoas, e diante do que o hospital nos colocou, precisamos nos reunir ontem. Tem que ser tomada atitude mais drástica. A gente pede compreensão de todos. É uma decisão dura, mas que precisa ser tomada", disse Pacheco, reforçando que é uma decisão coletiva entre prefeitura e entidades que fazem parte do grupo de enfrentamento à pandemia.

Estão autorizados a funcionar, por exemplo, supermercados, farmácias, unidades de saúde e segurança, imprensa, telecomunicações, internet, agroindústrias e postos de combustíveis e outros - com restrições de capacidade e acesso. Na coletiva, estiveram também os presidentes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Gabriel Sabino, e Associação Empresarial de Concórdia (ACIC), Sérgio Radin.

Pacheco ainda informou, durante a coletiva, que a decisão de lockdown abrange as escolas. Ou seja, entre segunda e terça-feira não haverá aula presencial nas redes privada, municipal e estadual. Conforme ele, há informações que preocupam em relação às escolas, por isso se optou por suspender as aulas. Medida vale também para os Centros de Educação Infantil (CMEIs).

?Bares e restaurantes poderão atuar na modalidade de delivery. Serviços públicos da prefeitura, Estado e União também deverão ser suspensos, pelo menos de forma presencial. Ou seja, deve retornar ao atendimento remoto, como ocorreu em boa parte do ano passado. Bancos e lotéricas também fecham.

Clínicas e consultórios podem funcionar por serem essenciais. Equipe de transportes da Prefeitura também deve estar de plantão. Oficinas mecânicas em rodovias poderão funcionar, assim como a construção civil.

No entanto, o período de lockdown pode aumentar. Conforme a doença avançar nos próximos dias, é provável que a medida seja ampliada até o dia 7 de março. Na terça-feira, a equipe vai se reunir para discutir o andamento da paralisação - se vai chegar ao fim na quarta, ou se haverá necessidade de ampliação. 

"Esperamos que na quarta possamos voltar a encaminhar normalmente. Ninguém quer que as atividades paralisem, que parem. Teremos neste período ações. A questão do transporte coletivo vai ter que ser paralisado. Temos informações que pessoas estão utilizando sem necessidade devida. A questão dos supermercados, dentro destedecreto vai ter restrições enérgicas, em relação à higienização e taxa de ocupação. A fiscalização vai ser ampla, não só nos supermercados, mas com qualquer atividade", pontuou.

A decisão de lockdown de quatro dias foi orientada por técnicos. "Nós tivemos orientação técnica da área de saúde, que nos colocou que a partir da contaminação até a manifestação do vírus ocorre em quatro dias. Então, a gente pode evitar um número de contaminação maior. Isso vai ajudar no isolamento social e na transmissibilidade de vírus".

O prefeito pediu ainda que as pessoas tenham calma diante da decisão e consciência antes de expor manifestações radicais nas redes sociais. "A fiscalização vai ser enérgica. vai ter penalidade dura. Principalmente para as pessoas que não respeitam, que saem caminhando sem máscara. Existe uma lei, tem que ser respeitada", completou.

A medida é tomada por conta do forte avanço da doença. Nesta semana, o Hospital São Francisco chegou a 96 internações, o recorde em toda a pandemia, o que levou a unidade a nunciar que poderá entrar em colapso nas próximas 48 horas se não houver redução de internados e cuidado por parte da população.

O município também bateu recorde de casos positivados. Registrou 205 novos pacientes com a doença em apenas 24 horas, na última quarta-feira, dia 24. As últimas duas semanas estão entre as que mais registraram casos da doença, superando os chamados picos da pandemia até então.