G2-NOVO
Covid-19

COVID: Médico diz que existe risco de COLAPSO TOTAL no HUST em Joaçaba

Pacientes menos graves que chegar no HUST estão sendo encaminhados para enfermarias de hospitais da região

03/03/2021 16h10
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Rádio Catarinense
60
Sobre a ampliação de mais 5 leitos de UTI, que o hospital está viabilizando, ele considerou importante, mas disse ser apenas um “suspiro” diante de todo este cenário
Sobre a ampliação de mais 5 leitos de UTI, que o hospital está viabilizando, ele considerou importante, mas disse ser apenas um “suspiro” diante de todo este cenário

“Estamos chegando num ponto perto de não ter condições física, técnica e humana de atender pacientes que cheguem no HUST” Este alerta extremo é do médico João Rogério, chefe da Ala-Covid do Hospital Universitário Santa Teresinha de Joaçaba.  

Ele, junto com a direção do HUST, participou da reunião de ontem da Câmara de Vereadores fazendo um amplo relato de como está a situação no hospital. “Há um grande risco de um colapso total se não se reduzir o número de pacientes que chegam em busca de atendimento” disse o médico.

Segundo ele nunca se enfrentou algo parecido. Atualmente são 27 pessoas sendo tratadas, sendo 10 na UTI e 17 na enfermaria. As 10 que estão na UTI, todas estão entubadas. Das 17 que estão na enfermaria, 9 delas aguardam uma vaga na UTI e vão precisar de ventilação mecânica. Cada paciente que chega na UTI fica em média 21 dias. O médico disse também que nos últimos tempos, por dia no hospital, em média, 2 a 3 pacientes com COVID, são entubados, um número elevado.

Para os que estão internados não há previsão de alta hospitalar para breve. Outra preocupação do HUST é com medicação, pois está ocorrendo uma grande demanda mundial. Existe risco de faltar alguns fármacos usados no setor o que agravaria ainda mais a situação.

Pacientes menos graves que chegar no HUST estão sendo encaminhados para enfermarias de hospitais da região se precisarem de leitos de UTI vão depender da central de regulação do Estado.

Sobre a ampliação de mais 5 leitos de UTI, que o hospital está viabilizando, ele considerou importante, mas disse ser apenas um “suspiro” diante de todo este cenário.