G2-NOVO
Covid-19

Fecam avança em negociação e vacina Sputinik pode chegar a SC em um mês

Nesta quarta-feira (10), em reunião com prefeitos e prefeitas, a Federação formalizou a intenção de compra de 4,1 milhões de doses da Sputinik

11/03/2021 10h55Atualizado há 4 semanas
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: fecam
141
O pagamento acontecerá somente após a chegada e a liberação da vacina em território brasileiro.
O pagamento acontecerá somente após a chegada e a liberação da vacina em território brasileiro.
A FECAM deu enorme passo visando a compra de vacinas pelos municípios catarinenses. Nesta quarta-feira (10), em reunião com prefeitos e prefeitas, a Federação formalizou a intenção de compra de 4,1 milhões de doses da Sputinik V, que deverão beneficiar 265 municípios. O ponto de partida para essas negociações foi a entrega, pelos municípios, da Carta de Intenções (Letter of Intention - LOI), onde cada um deles indicou a quantidade de vacinas que deseja comprar. Até agora, 233 municípios entregaram a LOI e a FECAM espera até quinta-feira (11) para receber as demais adesões.

A FECAM não compra vacinas, ela gerencia o processo. Na sexta-feira (12) a Federação encaminhará toda a documentação à empresa internacional que distribui o medicamento. Em seguida, a empresa terá 72h para aceitar formalmente a proposta comercial, incluindo valores e prazos. Uma vez aceito o pedido, a empresa entregará a vacina em 15 dias úteis. O pagamento acontecerá somente após a chegada e liberação da vacina em território brasileiro.

Todos os documentos do consórcio formado pelos municípios devem ser enviados na próxima sexta-feira (12) para a empresa, que tem até a quarta-feira seguinte, dia 17, para dar o aval sobre a compra. Caso o retorno seja positivo, as vacinas devem chegar em até 15 dias úteis a Santa Catarina. O pagamento acontecerá somente após a chegada e a liberação da vacina em território brasileiro. 

“Hoje é um dia histórico para Santa Catarina, somos a primeira Federação de Municípios do Brasil a protocolar compra de vacinas. Nós acreditamos que o papel da FECAM é representar cada prefeito e prefeita, que têm enfrentado dificuldades nesse enfrentamento da pandemia e estão vendo pessoas morrendo. Só temos uma forma de superar tudo isso: vacinar a nossa população”, afirmou o Presidente da FECAM, Clenilton Pereira (Prefeito de Araquari).