G2-NOVO
Covid-19

“São imensuráveis os danos causados pela pandemia no setor”, diz promotora de eventos

Por mais de um ano parado, Jussara Camargo explana situação do segmento em Concórdia.

12/04/2021 11h24Atualizado há 4 semanas
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Rádio Rural
74
Com a vacinação ocorrendo, o setor se mostra esperançoso para a retomada gradual dos trabalhos. FOTO PORTAL IN CONCAS
Com a vacinação ocorrendo, o setor se mostra esperançoso para a retomada gradual dos trabalhos. FOTO PORTAL IN CONCAS

O único setor estagnado desde o início da pandemia é a indústria de eventos. Por mais de um ano sem poder realizar suas atividades os trabalhadores da área tiveram que se reinventar, alguns mudaram o segmento, outros fecharam seus negócios e migraram para outro ramo e teve também aqueles que faliram.

Em 2020 todos os setores da economia foram pegos de surpresa, para os que trabalhavam com produção de eventos não foi diferente. O setor teve contratos cancelados e alguns adiados, mas com o estendimento das restrições foi ficando cada vez mais complicado, e por isso parte das pessoas que trabalhavam no ramo decidiram abandonar o segmento.

Jussara Camargo é produtora de eventos em Concórdia, com foco em produções de formaturas e casamentos. Ela está sem poder realizar seu trabalho por mais de um ano e revela qual o clima para quem depende desse ramo. “Desde o início da pandemia, o nosso setor de eventos foi o primeiro a parar e até agora é o único que ainda não conseguiu retornar as atividades, é uma engrenagem toda parada há mais de um ano”, revela. “Então hoje, além de todas as dificuldades, tem muitos profissionais que deixaram de atuar, muitos empresários deixaram suas empresas, fecharam suas portas, estabelecimentos e espaços de eventos foram fechados, por conta desse impacto financeiro que a pandemia causou no nosso setor”, completa Jussara.

Jussara também comenta o impacto da pandemia no setor. “Hoje é imensurável o cálculo das perdas e dos danos causados pela pandemia no setor de eventos, pois muitos são empresários e tem CNPJ, mas muitos são trabalhadores profissionais informais”, explica. “Esses profissionais deixaram de exercer suas atividades e até já estão fazendo outras coisas, nós nem temos outro exemplo de um setor que ficou parado por tanto tempo”, finaliza Jussara.

Com a vacinação ocorrendo, o setor se mostra esperançoso para a retomada gradual dos trabalhos. Os promotores de evento se mostram confiantes para que no segundo semestre consigam retornar as atividades seguindo todos os protocolos e as normas de segurança. Nesse tempo de saída da pandemia a economia global é otimista, principalmente com o andamento da vacina em todo o país.