G2-NOVO
COVID-19

Prefeito de Concórdia recebe promotores de eventos e representantes da CDL

Administração Municipal aguarda mudança de classificação e flexibilização por parte do Estado para uma retomada gradativa

13/04/2021 18h06
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Prefeitura de Concórdia
120
O prefeito informou aos presentes do encontro, que mantém contato constante com lideranças estaduais, buscando que a classificação de risco de Concórdia possa ser modificada, devido a regressão de alguns números como positivados e internações hospitalares.
O prefeito informou aos presentes do encontro, que mantém contato constante com lideranças estaduais, buscando que a classificação de risco de Concórdia possa ser modificada, devido a regressão de alguns números como positivados e internações hospitalares.

 

O prefeito Rogério Pacheco recebeu nesta terça-feira, 13, representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas de Concórdia e promotores de eventos do município.  A categoria veio relatar as dificuldades enfrentadas e solicitar a flexibilização de regras, visando retomar suas atividades. 

Pacheco reiterou que tem conhecimento de que este é um dos setores mais prejudicados desde o início da pandemia da Covid-19, iniciada há mais de um ano.

 

No entanto, seguindo os procedimentos vigentes de enfrentamento ao vírus, o Executivo Municipal só pode decretar regras mais rígidas em relação aquelas que são decretadas pelo governo do Estado, e este não o objetivo, neste momento.

“Estou sensibilizado com a categoria e acolhi os pedidos, porém o retorno destas atividades precisa ser autorizado pelo Estado”, comentou Pacheco.

O prefeito informou aos presentes do encontro, que mantém contato constante com lideranças estaduais, buscando que a classificação de risco de Concórdia possa ser modificada, devido a regressão de alguns números como positivados e internações hospitalares e que a retomada deste setor possa ser autorizada de forma gradativa.

"Está muito claro que esta categoria está passando por grandes dificuldades. Vamos trabalhar para que o Estado, aos poucos, possa flexibilizar isso", declarou Pacheco.