CONCORDIA
Especial

Ferrovia do Contestado - A História!

A indefinição dos limites territoriais entre Santa Catarina e Paraná vinha desde o Império, e até a Argentina pleiteava a posse de áreas dos dois estados.

Diego Franke

Diego FrankeColuna voltada ao cotidiano dessa nossa vida, sempre com assuntos voltados para os assuntos do momento.

22/06/2021 16h01Atualizado há 1 mês
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Agência Senado e Wikipédia
89
A luta foi longa, com início em outubro de 1912 e término em agosto de 1916.
A luta foi longa, com início em outubro de 1912 e término em agosto de 1916.

 

Nossa região foi palco de uma batalha sangrenta, a  Guerra do Contestado, que teve em parte seu estopim por conta da Ferrovia.

A indefinição dos limites territoriais entre Santa Catarina e Paraná vinha desde o Império, e até a Argentina pleiteava a posse de áreas dos dois estados. O Supremo Tribunal Federal deu ganho de causa aos catarinenses em 1904 e reafirmou sua decisão nos anos seguintes, mas a sentença era ignorada pelo governo paranaense.

Nesse cenário de conflito, a revolta prosperou.

Havia na região seguidores do monge José Maria, muitos eram posseiros, sitiantes e pequenos lavradores que haviam sido expulsos das terras em que viviam pelo grupo americano responsável pela construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, do megaempresário Percival Farquhar.

Além da concessão, Farquhar ganhou do governo brasileiro as terras situadas às margens da ferrovia, uma vasta faixa de 15 quilômetros de cada lado.

Somaram-se aos revoltoso colonos expulsos, fazendeiros que se opunham aos coronéis, tropeiros sem trabalho até ex-combatentes da Revolução Federalista (1893–1895), que tinham experiência com armas e contestavam a República.

A luta foi longa, com início em outubro de 1912 e término em agosto de 1916.

Entre os camponeses revoltados, o messianismo e o fanatismo religioso favoreceram a crença de que se tratava de uma guerra santa, o que exacerbou os ânimos para a luta, na qual cerca de 8 000 deles pereceram.