CONCORDIA
Política

Vereador Mirim de Arabutã participa de evento em Florianópolis e defende a criação de políticas públicas para incentivar o jovem ao interesse político.

Influencia jovem na política

07/07/2021 09h55
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Juliane Rell/Ipumirim Notícias/ O Jornal
43
Políticas públicas como incentivo para o jovem
Políticas públicas como incentivo para o jovem

A participação do jovem na política ainda é um grande desafio vivido no século XXI. Mesmo com a influência das redes sociais e da abrangência dos meios de comunicação, poucos são os jovens que se interessam a conhecer e ingressar na vida pública para fazer parte de um comando seja de um pequeno município ou de uma grande nação.

De acordo com  levantamento divulgado pela justiça eleitoral nas redes sociais, a média de idade dos políticos brasileiro nos últimos dez anos passou de 50 até 59 anos para 45 a 46 anos. Uma mudança significativa, porém ainda muito distante da idade jovem.

Essa desconexão entre a política e o jovem foi um dos assuntos discutidos no evento Integridade Eleitoral: Observação das eleições suplementares de Petrolândia-SC, promovido no mês passado em Florianópolis pela Escola  Judiciária Eleitoral de Santa Catarina EJESC e reuniu observadores da transparência eleitoral de El Salvador, do Mexico, dos  Estados Unidos e do Brasil. E teve como convidado pela Assembléia Legislativa o presidente  dos vereadores Mirins  de Arabutã  Eduardo Maurício Helbing, que representou os Vereadores Mirins do Estado no evento.

O município de Arabutã faz parte dos municípios catarinenses que estão dando a oportunidade para que os jovens, através de um processo escolar democrático, conheçam melhor a política, suas legislações e competências e despertem o interesse em fazer parte dela. Eleito pela terceira vez vereador Mirim do município de Arabutã, Eduardo começou a atuar em 2017.

Foi reeleito em 2019 e agora em 2021 também é presidente e representou o Estado levando para o encontro a necessidade de se criarem políticas públicas de incentivo aos jovens para a participação na política.

Em seu discurso, Eduardo comentou que atualmente a rede social proporciona  a oportunidade das pessoas debaterem diversos temas, entre eles, a política. Porém esse envolvimento não influencia o jovem para participar ativamente tanto das decisões como da participação política. “ Tanto no Brasil como em toda a América Latina, o jovem hoje tem o poder decisivo nas eleições.

No entanto, muitos jovens de 16 e 17 anos que não tem a obrigatoriedade de votar, deixam de participar ativamente do processo por desinteresse do assunto. Acredito que o fator principal dessa desconexão seja a falta de incentivo político para o público jovem”, defende o vereador mirim.

CONHECIMENTO

Programa proporciona a interação com o processo

Nos quatro anos  após ingressar como vereador Mirim, Eduardo explica que já adquiriu muito conhecimento . “Essa é uma oportunidade fundamental para conhecer mais sobre a política em suas esferas. Se inteirar do processo eleitoral, das possibilidades e do que é permitido pela legislação ao candidato ou ao político eleito dentro da sua função.

Todos os jovens  que já participaram do projeto tem a condição de avaliar e discutir a legislação com seu candidato pois nos foi passado esse conhecimento. Penso que isso é fundamental pois o jovem precisa saber qual o verdadeiro poder do político e também fazer parte das decisões”, reitera.

SUGESTÃO

Políticas públicas como incentivo para o jovem

Na tribuna, Eduardo defendeu a criação de políticas públicas para incentivar o jovem a se interessar. “Temos aqui em Santa Catarina o projeto  Voz & Vez que visa à educação cidadã para jovens das escolas da rede estadual através de formação em direitos humanos, direitos políticos, processo eleitoral e eleição.

Essa base é um grande pilar de formação. Porém defendo também que se busque ampliar nos municípios o projeto vereador Mirim, no objetivo de promover a interação escolar com o poder Legislativo, visando a formação da cidadania e o entendimento e interesse político.

 

PROJETO

Integração entre a escola e o Legislativo

Oportunizar os jovens a conhecerem as atribuições do parlamento favorecendo a visão crítica e realista da política local e da nação é uma experiência proporcionada pelo programa Vereador Mirim. Criado em 2004, o programa tem parceria com as escolas, os alunos passam por uma processo de escolha muito próximo ao das eleições e os vereadores mirins eleitos passam a ingressar nos tramites do Legislativo influenciando em decisões, dentro do que compete ao programa vereador Mirim, tanto de ordem do município, como também do estado.

Até 2020, Santa Catarina contava com 77 municípios ativos no programa Vereador Mirim, com mais de 800 jovens participantes.

A pandemia causou uma diminuição do numero de participantes. Porém o programa se mantém ativo.