CONCORDIA
COVID-19

Prefeito de Concórdia Rogério Pacheco reforça cobrança ao Secretário de Estado da Saúde de aporte de recursos para cobrir extrateto*

André Motta Ribeiro esteve em Concórdia nesta quarta-feira, ouviu reivindicações e sinalizou encaminhamentos.

07/07/2021 22h30
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: Prefeitura de Concórdia
50
O secretário André Motta Ribeiro informou que o Governo do Estado iniciou uma releitura da política hospitalar e que com a organização do entorno de cidades sedes
O secretário André Motta Ribeiro informou que o Governo do Estado iniciou uma releitura da política hospitalar e que com a organização do entorno de cidades sedes

A Administração Municipal de Concórdia recebeu nesta quarta-feira, 7, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, no Centro Administrativo Municipal. O prefeito, Rogério Pacheco, apresentou ao secretário a preocupação de sua gestão com os gastos extrateto no enfrentamento da Covid-19, que já representam R$ 7 milhões além do projetado no orçamento da saúde.

Pacheco cobrou novamente o repasse destes recursos por parte do Estado, uma vez que Concórdia está pagando uma conta que é absorvida não só por pacientes de seu município, mas de todos os demais do Alto Uruguai Catarinense e da regulação.

O prefeito já havia levado esta preocupação em reunião recentemente com o secretário em Florianópolis.

Pacheco destacou que em 2020 o investimento no extrateto foi de R$ 3 milhões de reais e que em 2021, somente nos primeiros seis meses do ano, já ultrapassou R$ 4 milhões.

Se continuar assim, até o final do exercício atual, Concórdia poderá, segundo o prefeito, comprometer investimentos em outras áreas se não houver o retorno por parte do Estado. 

O secretário André Motta Ribeiro informou que o Governo do Estado iniciou uma releitura da política hospitalar e que com a organização do entorno de cidades sedes, como é o caso de Concórdia, em breve terá uma maior clareza sobre quem presta qual tipo de serviço em todos os hospitais.

Destacou que o pedido do prefeito de Concórdia será levado, novamente, ao conhecimento do governador Carlos Moisés e que espera que uma saída seja encontrada. 

Acompanharam a reunião no Centro Administrativo Municipal nesta quarta-feira, 7, o vice-prefeito Edilson Massocco, o presidente do Consórcio CIS AMAUC, Edemilson Canalle, prefeito de Seara, o deputado estadual Moacir Sopelsa, o presidente do Legislativo Fabiano Caitano, e o vereador Fernando Busetto, e os secretários municipais da saúde, Leide Mara Bender, Administração, Neiva Piola, e Desenvolvimento Econômico, Wagner Simioni.