G2-NOVO
Futebol

Secretário de Saúde prevê volta do público aos estádios em SC em Outubro

Ele ainda confirmou uma reunião com a FCF para semana que vem

04/09/2021 12h49Atualizado há 2 semanas
Por: Diego Salmon Franke
Fonte: NSC Total
108
Por enquanto presença de torcedores nos estádios segue sem presença de público.
Por enquanto presença de torcedores nos estádios segue sem presença de público.
Santa Catarina pode liberar público nos estádios a partir de outubro. A previsão foi feita pelo Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, em entrevista à CBN Joinville nesta sexta-feira (03). Segundo o secretário, as próximas semanas de setembro serão importantes para avaliação de como a variante Delta do novo coronavírus vai impactar a população catarinense.

Somente após esse entendimento é que será possível estabelecer os protocolos e medidas necessárias para liberação das torcidas nos estádios e também o público em geral para outros tipos de eventos maiores. "Eu imagino que pra outubro já tenhamos condições [de realizar eventos grandes], inclusive com público, de uma forma bem controlada, pactuada antes", disse ele.

Em relação ao posicionamento da Federação Catarinense de Futebol (FCF), que se disse "revoltada" com o novo decreto que prorrogou a proibição das torcidas até o fim de setembro, o secretário afirmou que os grupos de trabalho têm mantido contato frequente com todos os setores da sociedade catarinense, para tomadas de decisão que atendam às expectativas sem deixar de lado os cuidados em relação a pandemia.

Motta frisou ainda que as manifestações são válidas, desde que respeitosas. "A gente entende [...]. As pessas não aguentam mais, é a natural que as pessoas se manifestem com inconformidade". destacou. 

Ainda segundo o secretário, uma reunião entre o governo do estado, FCF, Fesporte e outros agentes envolvidos com o tema, vai ser realizada na semana que vem, após o feriado de 7 de setembro, para novas deliberações sobre o tema.

Na avaliação do titular da pasta da saúde, os desafios para liberação de público em jogos de futebol estão no entorno da atividade e não apenas no quesito estádio ou arena esportiva. "Claro que é um ambiente aberto, pode haver distanciamento, mas tem entradas e saídas, os portões são estreitos, tem o deslocamento [...]. Se fosse apenas pelo ambiente estádio de futebol aberto, esse não é o grande problema, o problema é dinâmica que envolve o entorno dessa atividade". apontou.

André Motta Ribeiro ainda avaliou o momento que Santa Catarina vive no enfrentamento à pandemia; comentou a situação da Regional Nordeste - única em classificação de risco "gravíssimo" para o coronavírus - e destacou a gestão da crise que foi provocada pela pandemia.